Loja Benmax Entre em contato

Economize no consumo de energia com uma adega climatizada

Por Luís Antônio Hangai

Alternate Text

Entenda por que a aquisição de um equipamento especializado em vinhos e outras bebidas resulta em mais eficiência e economia para o seu bolso!

Quem aprecia um bom vinho sabe que as condições de armazenamento da bebida fazem toda a diferença na hora de degustá-la. Quando conservado sob uma temperatura ideal constante, sem vibrações ou outros incidentes que alterem suas propriedades, o vinho alcança aquele aroma e sabor capazes de agradar os mais exigentes paladares e se harmoniza perfeitamente com seus pratos prediletos. A aquisição de um equipamento para guardar seus rótulos é uma boa opção neste sentido. Entretanto, muitos ainda se perguntam: o consumo de energia de uma adega climatizada não é muito alto?

  •  

Consumo de energia: adega climatizada vs. outras soluções

É preciso colocar essa questão em perspectiva. Muitas pessoas, sejam elas consumidoras ocasionais ou até mesmo colecionadoras de rótulos e experientes apreciadores, optam por conservar suas garrafas em ambientes ou instalações pouco adequadas e cujo funcionamento constante, ao término do mês, sobrecarrega a conta de luz. 

Neste caso, o investimento para conservar o vinho em boa temperatura e pronto para ser servido já está sendo feito, mas de um modo bem mais dispendioso do que seria se houvesse uma adega de vinho climatizada, cujo consumo de energia elétrica fica em torno de 31,20 kWh/mês. 

Esta medida, contudo, refere-se a equipamentos grandes, com capacidade superior a 300 garrafas, sendo ainda menor no caso de adegas mais compactas. Além disso, tal consumo médio é obtido em testes severos de laboratório e é dificilmente alcançado por usuários comuns. 

Para se ter um parâmetro de comparação, veja o consumo médio mensal de outros eletrodomésticos comuns nas residências brasileiras, conforme dados do Centro Brasileiro de Informação de Eficiência Energética:      

  • Chuveiro elétrico (5500W) – 88 kWh/mês
  • Geladeira frost free com duas portas - 56,88 kWh/mês
  • Freezer vertical/horizontal - 47,55 kWh/mês
  • Televisão de LED de 42 polegadas - 30,45 kWh/mês
  • Ar-condicionado – a depender do modelo, varia entre 128,8 a 679,20 kWh/mês
  •  

Nota-se que o consumo de energia de uma adega climatizada é relativamente menor do que grande parte dos eletrodomésticos de maior porte. Naturalmente, a instalação desse equipamento em sua casa ou negócio irá gerar mais gasto de luz, do ponto de vista da somatória total, mas será um consumo bem menor se comparado com soluções menos eficientes. Portanto, se você se preocupa com um zelo mais eficiente do seu vinho, uma adega é indispensável para seus propósitos. 

  •  

Um exemplo de economia com adega climatizada

O consumo de energia de uma adega climatiza, se comparado com outros métodos menos profissionais, é muito menor, o que reflete em mais eficiência e economia no seu dia a dia. Fora isso, é um equipamento especificamente projetado para a armazenagem de vinhos, não sendo vulnerável aos transtornos típicos das soluções improvisadas (como oscilações de temperaturas ou acúmulo de umidade, por exemplo).

Vejamos o exemplo de Ugo Giovenazzi, um apreciador de vinhos morador da região de Londrina (PR) – notoriamente quente durante a maior parte do ano – e um dos consumidores finais da Benmax. Ele mantinha as garrafas guardadas em um cômodo de sua casa com o ar-condicionado sempre ligado. Após a instalação de uma adega climatizada em sua residência, ele viu o consumo de energia reduzir drasticamente. 

“Antes eu armazenava os vinhos no escritório e precisava deixar o ambiente refrigerado 24h por dia com ar-condicionado, sem contar a bagunça que isso causava. Agora meu espaço está muito mais organizado e funcional, sem falar da economia na conta de luz”, acrescenta Giovenazzi.

  •  

Adega climatizada mantém a temperatura ideal para o vinho

O engenheiro eletricista Samoel Inacio, com experiência profissional na área de refrigeração de bebidas, explica que o consumo de energia no caso acima caiu bastante porque o cliente fez o uso de um produto adequado para seus fins a partir de um sistema de refrigeração eficiente.  

“Um ambiente climatizado com ar-condicionado dificilmente vai manter a temperatura num padrão contínuo. Esse tipo de equipamento oscila constantemente, embora nem sempre nós percebamos isso quando o estamos usando. Se definirmos a temperatura em 23ºC, o compressor só vai acionar quando chegar a 24ºC. Isso gera uma oscilação (entre 23ºC e 24ºC) que não preserva a homogeneidade no ambiente, tão importante para o zelo do vinho. A adega climatizada já proporciona essa segurança”, explica o engenheiro eletricista. 

  •  

Como funciona uma adega com compressor

A economia no consumo de energia das adegas climatizadas com compressor ocorre em função do seu modo de operar. Sua mecânica, muito semelhante às das geladeiras convencionais, visa um fim simples: preservar a refrigeração da parte interna, independentemente de como esteja a temperatura externa. 

A refrigeração é obtida mediante a troca de calor que a adega faz com o ambiente, ou seja, ela precisa “expulsar” o calor na parte interna e ali conservar sem oscilações a temperaturas que foi definida no display. Os mais modernos equipamentos, ao atingirem a temperatura estabelecida, mantém a homogeneidade do resfriamento, o que implica em menor consumo de energia elétrica.

“As adegas mais modernas possuem compressores com maior eficiência e seu design contribui muito para que haja circulação do ar refrigerado. A vedação já se modernizou muito: existe uma vedação de gabinete diferenciada, com material mais resistente e mais leve. Isso implica em mais eficiência do consumo, pois não se perde nada da refrigeração interna.  As novas adegas climatizadas de vinho também possuem refletores de ar muito eficientes em comparação com os modelos antigos, que resultam menor consumo de energia”, explica Samoel Inacio. 

  •  

Fatores que aumentam o consumo de energia da adega climatizada

Há, entretanto, dois fatores principais que forçam uma adega climatizada a trabalhar mais e, portanto, a consumir mais eletricidade:

Fator de utilização: refere-se à quantidade de vezes que se expõe o interior do equipamento à troca de calor com o ambiente externo. Um exemplo é o tempo que se gasta para completar a adega com novas garrafas e o tempo que o equipamento fica exposto, durante a abertura de porta, à troca de calor. Isso faz com que o equipamento trabalhe num regime forçado até voltar a temperatura desejada novamente. O mesmo acontece também, em uma situação bastante comum entre os apreciadores de vinho, quando se deseja mostrar os rótulos para um visitante, mantendo a porta aberta durante o processo.  

Fator temperatura externa: há pessoas que expõem a adega a temperaturas pouco adequadas, ao sol ou perto de paredes com grande incidência solar, o que força o equipamento a trabalhar mais para manter o resfriamento interno. 

  •  

Dicas para o melhor uso da sua adega climatizada

Conhecendo de antemão os fatores que influenciam no maior gasto energético da sua adega climatizada, é possível seguir alguns passos para atingir maior economia e eficiência para o seu equipamento:

Evite instalar a adega em locais muito quentes, com incidência direta de raios solares ou mesmo perto de paredes que recebam luz do sol por longos períodos. Do contrário, equipamento terá de forçar no desempenho para equilibrar a temperatura interna com a temperatura de fora. 

Evite abrir e fechar a adega com muita frequência. Toda vez que a porta se abre, entra calor na parte interna do equipamento, que por sua vez consumirá mais energia para recuperar o equilíbrio térmico. 

Uma ideia para evitar o abre-e-fecha de portas é recorrer a um sistema externo de localização e descrição dos vinhos. Uma carta ou cardápio impresso é uma boa saída, por exemplo. A Adega BAC 119, da Benmax, já vem com o inovador sistema Easy Label, que facilita a leitura e a identificação dos vinhos pelo display, permitindo uma busca mais ágil entre os rótulos.

Adquira uma adega com iluminação interna em LED, pois ela é muito mais econômica que as lâmpadas convencionais. 

Se sua ideia é armazenar diferentes tipos de bebidas, como tintos, brancos, champagnes e espumantes, opte por adegas que possuam duas câmaras distintas cujas temperaturas podem ser reguladas separadamente. Assim você tem mais flexibilidade e necessita menos uso de eletrodomésticos. As adegas BAC51 (com espaço para 51 garrafas) e BAC119 (119 garrafas), da Benmax, são referências de mercado quando o assunto é Dual Zone.

Se você é um apreciador de vinhos e quer melhorar ainda mais a experiência de consumi-los, venha conhecer a linha de adegas climatizadas da Benmax. Nossos produtos, feitos com tecnologia de ponta, resultam no máximo de economia energética apresentados neste post.

Voltar para blog